1 de outubro de 2012

Um recomeço* (1º Capitulo)


Tomo o meu café pela manhã e um pão com queijo e fiambre. Uma rotina normal de qualquer família  Estou em casa sozinha, e estava a pensar o que haveria de fazer para preencher mais um dia de solidão. Tive algumas ideias.
Que tal ir dar uma volta perto do rio ou então ir até á praia? Escolhi á sorte e calhou ir até á praia. Lá fui eu me preparar.
O telemóvel toca loucamente, e eu meti a toalha á volta do meu corpo e vou a correr em direção ao telemóvel.
Era de um numero desconhecido, não o tinha na minha lista de contatos.
Com algum receio atendi o telemóvel :
- Bom dia quem fala?
- Ola Mónica, sou eu .
- Eu não conheço ninguém que se chama "Eu" - disse-o com alguma graça, e continuei - mas como sabes o meu nome, "Eu"?
- *risos* Oh continuas a mesma, em 5 anos não mudaste nada pelo menos na personalidade - disse ele.
- Nuno? És tu? - disse, com o "coração na boca".
- Sou o Nuno. A tua voz, a tua maneira de ser, não mudou. Por favor não desligues a chamada, não quero perder-te de vista outra vez. Fui burro, eu sei. - Disse Nuno implorando.
- Porque? Depois de tantos anos, ligas-me como se não fosse nada? Pensas que sou uma boneca, que podes usar e deitar fora quando te apetece? Deixaste uma filha nos meus braços, engravidei e foste embora, porque? Porque agora?.
Comecei a chorar de tanta raiva e dor que ele me fez sentir, mas choro porque voltou a entrar na minha vida. Continuando a chamada:
- Desculpa a serio  eu não sei onde tinha a cabeça. Pisei o risco, e fui atrás da pessoa que pensava que me fazia feliz, mas o que ela queria era o meu dinheiro e descobri a tempo, não casei com ela, e vim outra vez para Portugal. Vim recuperar aquilo que perdi. - disse com voz de quem estava arrependido
- Se o arrependimento mata-se, já estavas morto de certeza. Sabes, o que tive de lutar para enfrentar todo o mundo? todos os olhares, todas as cusquices? toda a falsidade das pessoas? O sorriso amarelo, o bom dia amargo da minha família  Eu tinha só 14 anos, pensei que tinha feito sexo por amor, por achar que eras a pessoa certa e tinha razão, eu fiz por amor, mas tu fizeste por causa da tua necessidade. Aproveitas-te de mim, sabendo que eu ia estar preparada para ti, pronta para uma nova etapa na minha vida, a relação sexual contigo. Soubeste que estava gravida, fugiste. Não querias admitir a tua filha. Deixaste-me sozinha, abandonada, com a minha filha nos braços, e agora lembraste de mim e da Soraia? - disse eu com um sufoco no coração e a chorar intensivamente.
- Soraia, é o nome dela? É lindo. Aposto que sai a mãe, perfeita, uma verdadeira princesa.
Desculpa se te fiz sofrer, se te magoei, se te abandonei mas eu tinha 16 anos, era uma autentica criança compreende o meu lado. Desculpa a serio  se desse para voltar atrás fazia tudo diferente. Neste 4 anos, a única pessoa que eu pensava era em ti, no amor que sinto por ti, das nossas brincadeiras, das corridas, das nossas noites na cama agarradinhos e a conversar pela noite fora. Tenho saudades..
- Que sentes? Se sentisses não me abandonavas, não me deixavas, não corrias atrás de quem só te queria roubar e deixar-te sem nada. Vazio.
Vazia foi como me senti, apesar de ter um bom emprego, uma filha maravilhosa, e grandes amigos. Conheço pessoas que da tua idade são mais maduras que tu, que tem muita mentalidade e admitem o erro - disse, mais calma mas com o coração a "explodir".
- Achas que podes voltar a encontrar-te comigo? Tenho saudades, por favor, diz que sim..
- Não sei, eu só tenho uma noite livre, que é hoje. Quero resolver isto e quero que me esqueças de uma vez por todas - disse com raiva.
- Sabes o café onde nos conhecemos? Lá ás 8h. Esta bem para ti? Se quiseres podes levar a nossa filha. - disse ansioso
- Claro que sei, eu estou lá quase todos os dias de manhã. Nossa? Querias dizer minha porque nunca passaste tempo nenhum com ela, nem uma carta, uma prenda, nada. Eu vou leva-la á minha irmã. E só vamos os dois, não quero que a Soraia veja o Pai que a abandonou. - disse eu prestes a explodir.
- Ok, combinado, lá te espero então. Beijinhos para a nossa filha, leva uma foto dela por favor, quero vê la. - disse com uma voz triste.
- Vou pensar, ate logo, xau!- desliguei bruscamente a chamada.
Tinha um encontro com o pai da minha filha, e agora? O que vou vestir, o que vou dizer, o que vou fazer, baaaaaah! Estou feliz porque a minha filha já não vai ser gozada no infantário  A minha filha sofre, eu não quero que ela sofra mais que eu sofri nesta vida. Ela é a minha preciosidade, é por ela que vivo.

                                     -- Passado umas 5 horas, faltando 30 min para o encontro --  
Continua...
Digam-me o que acham, pff (: é a primeira vez que faço isto*

3 comentários:

Gonçalo Lopes disse...

está linda!

andrep. disse...

Está muito bom, trenga!!
Jitos @

• w disse...

Gostei muito, continua (: